Ora viva caros amigos! Pois é, estamos quase a chegar ao São João, o dia da maior festa do Porto! Para quem não sabe, São João é o santo protetor dos casados e dos doentes e era conhecido por ser dado à prática da caridade. Como tal, hoje decidi fazer uma boa ação e trazer uma receita típica do São João, o caldo verde. Toda a gente sabe que o caldo verde leva uma ou duas rodelas de chouriço. O problema é que às vezes o chouriço é muito rijo e elas começam-se a queixar dos maxilares por estarem a mastigar há muito tempo. Ou então porque queriam mais chouriço e já não há. Para que isso não aconteça, tal como São João, vou fazer de protetor do matrimónio e partilhar uma receita que vai fazer com que elas revirem os olhos assim que provarem o vosso chouriço!

Comecem por levar ao lume um tacho com uma cebola e três batatas médias, juntamente com dois dentes de alho. Adicionem água até cobrir e uma linguiça por pessoa. Se conhecem essa pessoa há muito tempo, podem retirar a pele. Caso contrário é melhor deixar, mesmo que ela se queixe que não sabe tão bem.

Quando as batatas estiverem cozidas, desliguem o lume. Retirem as linguiças e triturem o caldo com a varinha mágica. Juntem um fio de azeite para ajudar a lubrificar.

Adicionem um pouco de couve para caldo verde, daquele de saco que já vem cortado. Misturem bem e tapem o tacho durante meia hora. É o tempo ideal para a couve ficar no ponto. Se ficar tempo a mais fica muito mole e se ficar tempo a menos continua dura. Acho que meia hora é um tempo bastante aceitável.

Na altura de servir, perguntem se ela prefere a linguiça às rodelas, ou inteirinha. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Aquele abraço!

Like: facebook.com/chefejamon
Follow: instagram.com/chefejamon

Gatinhos camuflados.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

eight − three =